Arquivo em Agosto 17, 2020

Luto – cientista Elsimar Coutinho morre de complicações da Covid-19

Bnws – O médico e cientista baiano Elsimar Coutinho, 90 anos, faleceu nesta segunda-feira (17), no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Ele estava internado desde o dia 30 de julho, com quadro de insuficiência respiratória aguda. A informação foi confirmada  ao BNews pela assessoria do médico.

Elsimar Metzker Coutinho foi transferido para a unidade de saúde em São Paulo após ficar dias internado no Hospital Aliança, em Salvador. Ele era acompanhado pelo cardiologista Roberto Kalil, que cuida do cientista há anos.

O renomado médico, cientista e professor,  nasceu em Pojuca, em 18 de maio de 1930.

Coronavírus: ANS decide que convênios têm de cobrir teste sorológico

G1 – A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) decidiu nesta quinta-feira (13) que os planos de saúde têm de cobrir os testes sorológicos para o novo coronavírus. A medida vale a partir desta sexta-feira (14).

O teste detecta a presença dos anticorpos IgA, IgG ou IgM no sangue do paciente, produzidos pelo organismo após exposição ao vírus.

O teste sorológico é o chamado teste rápido para o novo coronavírus.

Segundo a ANS,

o procedimento “passa a ser de cobertura obrigatória para os beneficiários de planos de saúde a partir do oitavo dia do início dos sintomas, nas segmentações ambulatorial, hospitalar e referência, conforme solicitação do médico assistente.”

O assunto foi tratado em reunião da Diretoria Colegiada da agência na tarde desta quinta. No mês passado, a ANS derrubou na Justiça decisão liminar que obrigava os planos a oferecerem os testes. Na ocasião, a agência argumentou que não é possível fazer uso de testes, de forma paulatina e segura, como auxílio no mapeamento de pessoas infectadas.

Taxa de ocupação de leitos de UTI chega a 59% em Salvador

A taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivos para tratar pacientes infectados com Covid-19 voltou a registrar queda em Salvador. O índice nesta sexta-feira (07) foi de 59%, sendo, portanto, o menor já registrado desde que o percentual é calculado, no início de maio. O número é um dos indicadores que comprovam o acerto do conjunto de ações da Prefeitura para enfrentar a crise sanitária, resultando no enfraquecimento da doença da capital, mesmo com a retomada de atividades que estavam suspensas por conta da pandemia.

Este é o quarto dia consecutivo que Salvador registra queda na ocupação dos leitos de UTI. Na terça (04), o índice foi de 68%; na quarta (5), alcançou 67%; e ontem (06), ficou na casa dos 60% – dia em que sacramentou as condições técnicas para a ativação da fase dois do plano de reabertura das atividades econômicas, prevista para acontecer na próxima segunda (10). Com isso, poderão reabrir academias de ginásticas e similares; barbearias e salões de beleza; centros culturais bibliotecas, museus e galerias de arte; lanchonetes, bares e restaurantes.

Avaliação – Já se passaram 15 dias desde o início da primeira fase do plano de reativação das atividades. Esse é o intervalo de tempo mínimo que técnicos e cientistas consideram necessário para medir o impacto da reabertura de setores econômicos na área de saúde. A fase um possibilitou, no último dia 24, a reabertura e atendimento presencial dos shoppings centers e centros comerciais, lojas de rua acima de 200 metros, além de templos religiosos e a realização de eventos em sistema drive-in.

“Temos acompanhando os números. Até o presente momento, não estamos sentindo impacto no sistema de saúde. Isso mostra que os comerciantes estão seguindo os protocolos determinados pela Prefeitura”, destacou o secretário municipal da Saúde, Leo Prates.

Fruto de um trabalho conjunto entre a Prefeitura e o governo do Estado, o plano de retomada das atividades econômicas, religiosas e culturais na capital baiana possui três fases e tem como base regras gerais e específicas, com normas voltadas à mitigação da transmissão e do contágio do novo coronavírus na cidade.

Fase 2: veja como será o retorno de academias, bares, salões e museus

Correio* – O protocolo para os serviços que serão autorizados a reabrir na segunda fase da retomada econômica de Salvador foi apresentado nesta quarta-feira (5) pelo prefeito ACM Neto, durante evento de lançamento de um complexo viário do BRT. Na segunda fase, poderão funcionar academias de ginástica, salões de beleza e barbearias, centros culturais e museus e também lanchonetes, bares e restaurantes. Cada setor tem entre 35 a 40 regras a serem seguidas e o prefeito resumiu algumas delas. O restante será publicado ainda hoje numa edição extra do Diario Oficial do Município.

O prefeito deixou claro que o início da segunda fase ainda não tem uma data para ser ativada, tudo depende de como serão as taxas de ocupação dos leitos de UTI para covid-19 nos próximos dias. A cidade precisa passar por cinco dias com esse índice igual ou abaixo de 70%, que não precisam ser consecutivos. Já foram cumpridos três desses cinco dias, portanto, faltam ainda mais dois dias para a abertura desses estabelecimentos. Mesmo que a taxa fique igual ou abaixo de 70% ainda essa semana, que é a expectativa, o prefeito reforçou que não vai abrir nada antes do Dia dos Pais, para evitar aglomerações pela data comemorativa.

Academias
Nas academias, será obrigatório uso de máscaras em todas as atividades e fica proibido o revezamento de aparelhos. Elas poderão funcionar de segunda a sábado, com horário livre – a definição caberá a cada estabelecimento. Elas terão permissão para realizar atividades individuais e coletivas com marcação no solo. Será obrigatório agendamento prévio. A permanência máxima será de 1h por usuário. O uso da piscina continua proibido.

Neste retorno, as academias devem manter capacidade de uma pessoa a cada 6 m². O afastamento mínimo deve ser de mais de 2m entre alunos de crossfit e outras aulas coletivas. Salvador tem atualmente 2.150 academias de ginástica.

O protocolo determina higienização constante de aparelhos após uso, sem compartilhamento, número máximo de alunos por aula, medição de temperatura de funcionários e clientes, afastamento dos equipamentos para pelo menos 1,5m entre si. As academias de condomínios residenciais devem seguir este protocolo no que for cabível.

Salões de beleza
Já os salões de beleza poderão funcionar de segunda a sábado, das 10h às 19h. A operação deve ter atendimento individual, com agendamento de horário. Só serão permitidos acompanhantes para clientes que sejam crianças, idosos ou tenham alguma deficiência. Fica vedada a execução de serviços que necessitem a retirada da máscara durante o atendimento – como por exemplo aparar a barba. Os salões devem funcionar com 30% da capacidade total.

Estes estabelecimentos também devem medir a temperatura de funcionários e clientes. O intervalo entre o atendimento de um cliente e outro deve ser no mínimo de 15 minutos, para que o local seja higienizado. Após cada uso, todo equipamento deve passar por desinfecção.

Bares
Bares, restaurantes, pizzarias, sorveterias e similares poderão reabrir com funcionamento de segunda a domingo, das 12h às 23h. Lanchonetes devem funcionar de segunda a domingo, das 7h às 16h. O serviço presencial deve ser a la carte e buffet com funcionário servindo – sem self service e sem rodízio. Delivery e retirada podem funcionar sem restrições de horário.

Os estabelecimentos devem manter distância de 2m entre as mesas e 1m entre cadeiras de mesas diferentes. O máximo é de 6 pessoas por mesa. A obrigatoriedade do uso de máscaras fica suspensa somente no momento das refeições. O cardápio deve ser digital ou plastificado, com higienização após cada uso. Clientes e funcionários devem ter a temperatura medida. Eventos estão proibidos no momento, incluindo música ao vivo.

Museus
Centros culturais, museus e galerias de arte devem funcionar das 10h às 16h de segunda a sábado e aos domingos sem restrições de horário.  A venda de ingresso deve ser preferencialmente virtual, com horário agendado. Quando o acesso for gratuito, o agendamento do horário também deve ser on-line. Durante toda a visitação, deve ser mantido um circuito de mão única nos locais. A capacidade total a ser observada será de 30%.

Nesse primeiro momento, ficam proibidos uso de audioguias e visitas guiadas, assim como exposições interativas. Exibição de filmes ou vídeos só podem acontecer em espaços abertos, com duração máxima de 15 minutos. Clientes e funcionários devem ter a temperatura medida.

Cumprimento de regras
O chefe do executivo municipal pediu a colaboração para cada um fiscalizar seu estabelecimento, além da equipe da Prefeitura. “Precisamos ter o compromisso de cada um no cumprimento dessas regras e a fiscalização em conjunto com a prefeitura desses protocolos. Vamos ser rigorosíssimos com essas regras e não vamos tolerar nem meio descumprimento. O estabelecimento que não cumprir as regras vai ser interditado”, reforçou ACM Neto.

O prefeito reconheceu que as consequências dessa nova fase podem ser mais perigosas que as da primeira e reforçou que, se houver qualquer relaxamento no cumprimento das medidas, ele pode voltar atrás e proibir algum setor de funcionar. Contudo, a noficação será primeiramente individual.

“Nada impede, se nós percebermos um relaxamento, de fechar todo o setor. O que gera maior repercussão são os bares. Se a gente perceber que os bares estão dando problema, eu fecho apenas os bares e as academias, salões de beleza e outros estabelecimentos continuam abertos. A gente pode mexer no decreto, depende apenas da assinatura do prefeito. Não vamos colocar em risco de colocar nossas conquistas a perder agora”, informou Neto.

Ampliação de serviços da fase 1
Além disso, o prefeito anunciou ampliações nos serviços das atividades já liberadas na fase 1. Shopping e centros comerciais poderão retomar as praças de alimentação, com 50% da ocupação total.

Também serão liberadas atividades da fase 2 que estavam fechadas em shoppings – academias, salões e restaurantes – que ficam nestes centros e permaneceram fechadas durante a primeira fase. Essas atividades devem seguir o horário de funcionamento permitido aos shopping centers.

Na segunda fase, obras em imóveis habitados poderão ter quatro funcionários trabalhando a cada 100 m² da residência, ao invés de somente dois, como era estabelecido na fase 1.

Para entrar na fase 3, a taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivos para paciente com covid-19 deve ser de 60% no máximo. Nesse terceiro momento, poderão reabrir parques de diversões e parques temáticos; teatros, cinemas e demais casas de espetáculos; clubes sociais, recreativos e esportivos; centros de eventos e convenções.

Outros setores não citados, a exemplo da volta às aulas e a reabertura de praias e equipamentos públicos, não fazem parte do faseamento e terão regras e prazos de retomada específicos que serão divulgados pela Prefeitura, avaliando a evolução do quadro do novo coronavírus na cidade.

Gasolina com novo padrão passa a valer nesta segunda; veja perguntas e respostas

G1 – A partir desta segunda-feira (3), a gasolina vendida no Brasil deverá seguir novas especificações. Com as novidades, especialistas afirmam que o combustível ganhou em qualidade, e está mais próximo do padrão europeu, ainda que isso possa pesar mais no bolso na hora de abastecer.

As mudanças valem para a gasolina do tipo C (comum) e premium, aquela indicada pelas fabricantes de carros esportivos. A Petrobras, responsável pela produção de cerca de 90% da gasolina vendida no Brasil, diz que já segue os novos parâmetros, inclusive no padrão que só entrará em vigor em 2022.

O portal G1 entrevistou especialistas e profissionais da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e da Petrobras e traz uma série de perguntas e respostas sobre o tema:

1. O que mudou na gasolina?

Há 3 novidades nos parâmetros da gasolina. Um deles é a exigência de uma massa específica mínima.

A massa específica, ou densidade, é a quantidade de uma substância em um determinado volume. Para a gasolina, o padrão mínimo é 715 kg/m³. Isso significa que cada litro de gasolina deve pesar, no mínimo, 715 gramas. Antes, não havia um indicador.

De acordo com Everton Lopes, mentor de tecnologia em energia da SAE Brasil (Sociedade de Engenheiros da Mobilidade), “quando a massa específica é muito baixa, há menor conteúdo energético por litro, então o consumo aumenta”.

A partir de hoje começam a valer novas regras pra gasolina que sai das refinarias

A octanagem é o nível de resistência da gasolina à compressão no motor. Quando a mistura de gasolina com ar entra na câmara de combustão, o pistão faz um movimento de compressão, até que a vela solta uma faísca que promove a explosão.

“Tínhamos um padrão parecido com o dos EUA. Medíamos o IAD (índice antidetonante), que é a média entre MON e RON”, disse Alex Rodrigues Medeiros, especialista em regulação da ANP.

O IAD exigido para a gasolina brasileira era de 87 octanos. Agora, segundo as novas regras, a gasolina deve ter 92 octanos, de acordo com a metodologia RON. A partir de 2022, o RON exigido sobe mais um pouco, chegando a 93 octanos.

O padrão RON é mais usado na Europa, mais adequado para motores modernos.

“Quanto maior a quantidade de octanos, mais resistente o combustível é à queima, e mais próximo do melhor nível de eficiência ele vai estar”, diz Lopes.

Por fim, a ANP também introduziu a temperatura mínima de 77 °C para a destilação de 50% da gasolina. Antes, havia apenas um teto para a destilação, de 80 °C.

“A destilação garante a boa dirigibilidade, que o combustível vai ser volátil o suficiente na partida a frio para fazer a combustão”, disse Medeiros.

2. Como sei se estou abastecendo com a nova gasolina?

“Hoje, há a resolução que diz que o consumidor pode pedir ensaios de qualidade aos postos. Um deles é o de massa específica. Se, por acaso ele pedir, pode ver se está acima de 715 kg/m³”, disse Alex Medeiros, da ANP.

Com o teste, o consumidor pode ver se um dos critérios está sendo atendido.

A Petrobras, porém, afirma que já entrega o novo combustível nos postos do país. A empresa é responsável por cerca de 90% da produção de gasolina no Brasil.

“Essa gasolina já está sendo disponibilizada há muitos meses. Desde o início do ano a Petrobras já vem adequando suas refinarias e distribuidoras”, disse Rogério Gonçalves, especialista em novos produtos da Petrobras.

A companhia afirmou inclusive que já atende ao requisito de 93 octanos no padrão RON, que só vai entrar em vigor em 2022.

3. Meu carro vai ficar mais econômico?

“No consumo, todos vão sentir, em maior ou menor proporção”, disse Gonçalves, da Petrobras.

No entanto, o índice de economia de combustível não é consenso entre os especialistas, e varia de 3% a 6%.

O novo padrão da gasolina brasileira deixa os carros mais econômicos porque otimiza a queima do combustível. “Devemos observar uma menor ocorrência de batida de pino ou ignição precoce”, disse Medeiros.

“Antes, existiam gasolinas leves, voláteis. Quando adicionava o etanol, se tinha um produto com pouca energia, com poucas substâncias que proporcionam a energia necessária no motor”. Nesse caso, era necessário mais combustível para que o carro funcionasse bem.

4. Vou gastar mais para abastecer o carro?

Sim. No fim de junho, a diretora de refino e gás natural da Petrobras, Anelise Lara, disse que o litro da gasolina teria uma tendência a ficar mais caro com as novas especificações do derivado.

No entanto, a empresa não disse qual deve ser a diferença nos preços. Nesse caso, também é preciso considerar que a Petrobras já está fornecendo a nova gasolina para as distribuidoras.

No fim das contas, apesar de o motorista pagar mais pelo combustível, o veículo rodará mais quilômetros com um litro de gasolina.

Em nota, a Petrobras disse que “o ganho de rendimento de 5%, em média, proporcionado pela nova gasolina compensará uma eventual diferença no preço da gasolina”, e que “o preço do combustível é definido pela cotação no mercado internacional e outras variáveis”.

A petroleira também afirmou que “é responsável por apenas 30% do preço final da gasolina nos postos”.

5. Carros mais antigos também serão beneficiados?

Sim. Apesar de a nova gasolina ter sido pensada para motores modernos, que contam com injeção direta, por exemplo, os propulsores mais antigos também serão beneficiados com o combustível de melhor qualidade.

“Fizemos testes com veículos com injeção direta e injeção multiponto. No consumo, todos vão sentir, em maior ou menor proporção”, disse o engenheiro da Petrobras.

6. Vai ficar mais difícil adulterar a gasolina?

De acordo com os especialistas, sim.

“A nova especificação dificulta a adulteração. Normalmente, são colocados solventes leves, com baixa massa específica. Agora, como há um padrão mínimo, você evita que esses produtos leves sejam colocados”, disse Medeiros.

O especialista da ANP ainda afirma que, conforme os solventes ficam mais densos, o preço também sobe, tornando a adulteração menos rentável.

A própria ANP afirma que menos de 2% das amostras que coleta são de combustíveis adulterados. Nesses casos, a maior parte das irregularidades está na quantidade de etanol, com 57%.

Além disso, a fiscalização ficará mais fácil. “Com o parâmetro de massa específica, a ANP consegue aferir a densidade no próprio posto”, conclui Medeiros.

7. Até quando os postos poderão vender a “velha” gasolina?

Segundo a resolução da ANP, a gasolina com as antigas especificações ainda pode ser entregue nas distribuidoras até 3 de outubro, e nos postos até 3 de novembro.

Ainda assim, a Petrobras afirma já estar produzindo e entregando a nova gasolina.

8. Haverá mudanças na porcentagem de etanol?

Não. A proporção de etanol anidro (sem água) na gasolina seguirá sem alterações, em 27% na gasolina C (comum e aditivada).

9. Como fica a gasolina premium?

A gasolina comum ainda ficará abaixo do combustível premium, que passará de 91 octanos, no padrão RON, para 97. Esse tipo de combustível especial, além de ser mais caro, normalmente é recomendado pelas fabricantes de carros esportivos, que desenvolvem seus motores para essa octanagem mais alta.

Além do maior número de octanos, a gasolina premium também possui menor índice de etanol anidro de 25%.

A gasolina aditivada, como o nome já diz, um combustível comum, acrescido de aditivos, seguirá o mesmo padrão de mudanças da gasolina do tipo C.

O Bahia tem de ser mais ousado se quiser retornar aos seus bons tempos

Ter uma boa gestão financeira é além de ótimo, necessário no futebol e isso Guilherme Bellintani, presidente do Bahia, cumpre seu papel de maneira exemplar mas nem só de bons exemplos vive o futebol.

O Bahia vem se restruturando muito bem de 6 a 7 anos pra cá, o clube antes disso viveu tempos tenebrosos, que deixaram marcas profundas em suas finanças e aos poucos  com boas gestões conseguiu retomar as rédeas da tranquilidade financeira, ainda que não está no momento perfeito mas já vislumbra isso. Porém o torcedor, principal meio de sobrevivência do clube, não quer apenas bons exemplos, ele quer títulos, relevância nacional e sentir orgulho de seu time e isso não vai ser conquistado se o Bahia em algum momento não romper com suas rígidas regras e investir no elenco de maneira mais ousada.

Ficar eternamente no meio da tabela do campeonato brasileiro e ganhando apenas o campeonato Baiano ou  muito precariamente vivendo para abocanhar a Copa do Nordeste não dá orgulho em ninguém. O Bahia precisará investir pesado em seu plantel para, de maneira ousada, tentar feitos maiores e esses feitos pagarem seu investimento junto com seu torcedor. Sim pois investir além das contas hoje é ganhar retorno amanhã com uma possível classificação para a Libertadores ou quem sabe um título da Sulamericana, Copa do Brasil.

Bellintani precisará ser ousado ou corre o risco de deixar a presidência do clube como um ótimo exemplo de gestão financeira e um esquecível gestor de futebol. Já temos a certeza que essa virada de pensamento não virá esse ano, o gestor já declarou que não vai investir mais em jogadores para o Brasileiro.