Conhecimento: VACINA SPUTNIK, SATÉLITE SPUTNIK… AFINAL, O QUE QUER DIZER SPUTNIK?

Conhecimento: VACINA SPUTNIK, SATÉLITE SPUTNIK… AFINAL, O QUE QUER DIZER SPUTNIK?

Mega : Seria a corrida por uma vacina para a covid-19 a nova versão da corrida espacial, que acirrou os ânimos entre os Estados Unidos e a União Soviética durante a Guerra Fria? Lendo o nome Sputnik V nas manchetes, podemos pensar que sim: esse foi o batismo que o governo de Vladimir Putin escolheu para seu projeto de vacina, que está nas fases finais de testes, já foi aprovado pelas autoridades do país e deve ser produzida aqui no Brasil, no Paraná.

Mas também é o nome do primeiro satélite artificial do mundo, lançado em 1957, dando início à corrida espacial. Meses depois, o satélite Sputnik 2 levaria o primeiro ser vivo ao espaço, a cadelinha Laika. Já as missões russas que levaram pessoas ao espaço — Yuri Gagárin foi o primeiro deles, ficando mundialmente famoso, e Valentina Tereshkova foi a primeira mulher, logo depois dele — foram batizadas com o nome Vostok. Mesmo assim, foi o nome Sputnik ficou mais marcado como símbolo das glórias soviéticas.

Então, agora que a Rússia (não mais soviética) voltou a utilizá-lo, muita gente está se perguntando: qual o significado da palavra Sputnik.

Companheiro de viagem

A gente não tem um dicionário de russo à mão para procurar a definição exata da palavra, mas todas as fontes jornalísticas encontradas afirmam que essa é a tradução da palavra “spútnik” (pronunciada assim, com mais força no “u” e não no “i”): companheiro de viagem. Faz todo sentido para os satélites, não é mesmo?

Além disso, é importante mencionar que o próprio Putin já utiliza a mesma palavra desde 2014, para batizar a agência de notícias de seu governo.

Quanto ao uso do termo para batizar a vacina Sputnik V, não há nenhuma explicação oficial. Mas esse é um daqueles casos em que “para bom entendedor, meia palavra basta”: o governo russo quer mostrar que, novamente, largou primeiro em uma corrida importante para a humanidade.

O professor de sociologia da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), Yurij Castelfranchi, em entrevista ao portal UOL, explicou: “É um grande truque. Ele relembra um grande momento de orgulho nacional, constrói uma identidade coletiva e, ao mesmo tempo, dá uma cutucada gigante num momento de tensões de política internacional”.

De fato, quando os primeiros satélites soviéticos foram lançados, o impacto no Ocidente foi enorme: estimulou a criação da NASA, a agência espacial norte-americana, e uma promessa do então presidente John Kennedy de que os Estados Unidos levariam o homem à lua. Foi o início da corrida espacial.

Deixe uma resposta