Home

Gasolina com novo padrão passa a valer nesta segunda; veja perguntas e respostas

G1 – A partir desta segunda-feira (3), a gasolina vendida no Brasil deverá seguir novas especificações. Com as novidades, especialistas afirmam que o combustível ganhou em qualidade, e está mais próximo do padrão europeu, ainda que isso possa pesar mais no bolso na hora de abastecer.

As mudanças valem para a gasolina do tipo C (comum) e premium, aquela indicada pelas fabricantes de carros esportivos. A Petrobras, responsável pela produção de cerca de 90% da gasolina vendida no Brasil, diz que já segue os novos parâmetros, inclusive no padrão que só entrará em vigor em 2022.

O portal G1 entrevistou especialistas e profissionais da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e da Petrobras e traz uma série de perguntas e respostas sobre o tema:

1. O que mudou na gasolina?

Há 3 novidades nos parâmetros da gasolina. Um deles é a exigência de uma massa específica mínima.

A massa específica, ou densidade, é a quantidade de uma substância em um determinado volume. Para a gasolina, o padrão mínimo é 715 kg/m³. Isso significa que cada litro de gasolina deve pesar, no mínimo, 715 gramas. Antes, não havia um indicador.

De acordo com Everton Lopes, mentor de tecnologia em energia da SAE Brasil (Sociedade de Engenheiros da Mobilidade), “quando a massa específica é muito baixa, há menor conteúdo energético por litro, então o consumo aumenta”.

A partir de hoje começam a valer novas regras pra gasolina que sai das refinarias

A octanagem é o nível de resistência da gasolina à compressão no motor. Quando a mistura de gasolina com ar entra na câmara de combustão, o pistão faz um movimento de compressão, até que a vela solta uma faísca que promove a explosão.

“Tínhamos um padrão parecido com o dos EUA. Medíamos o IAD (índice antidetonante), que é a média entre MON e RON”, disse Alex Rodrigues Medeiros, especialista em regulação da ANP.

O IAD exigido para a gasolina brasileira era de 87 octanos. Agora, segundo as novas regras, a gasolina deve ter 92 octanos, de acordo com a metodologia RON. A partir de 2022, o RON exigido sobe mais um pouco, chegando a 93 octanos.

O padrão RON é mais usado na Europa, mais adequado para motores modernos.

“Quanto maior a quantidade de octanos, mais resistente o combustível é à queima, e mais próximo do melhor nível de eficiência ele vai estar”, diz Lopes.

Por fim, a ANP também introduziu a temperatura mínima de 77 °C para a destilação de 50% da gasolina. Antes, havia apenas um teto para a destilação, de 80 °C.

“A destilação garante a boa dirigibilidade, que o combustível vai ser volátil o suficiente na partida a frio para fazer a combustão”, disse Medeiros.

2. Como sei se estou abastecendo com a nova gasolina?

“Hoje, há a resolução que diz que o consumidor pode pedir ensaios de qualidade aos postos. Um deles é o de massa específica. Se, por acaso ele pedir, pode ver se está acima de 715 kg/m³”, disse Alex Medeiros, da ANP.

Com o teste, o consumidor pode ver se um dos critérios está sendo atendido.

A Petrobras, porém, afirma que já entrega o novo combustível nos postos do país. A empresa é responsável por cerca de 90% da produção de gasolina no Brasil.

“Essa gasolina já está sendo disponibilizada há muitos meses. Desde o início do ano a Petrobras já vem adequando suas refinarias e distribuidoras”, disse Rogério Gonçalves, especialista em novos produtos da Petrobras.

A companhia afirmou inclusive que já atende ao requisito de 93 octanos no padrão RON, que só vai entrar em vigor em 2022.

3. Meu carro vai ficar mais econômico?

“No consumo, todos vão sentir, em maior ou menor proporção”, disse Gonçalves, da Petrobras.

No entanto, o índice de economia de combustível não é consenso entre os especialistas, e varia de 3% a 6%.

O novo padrão da gasolina brasileira deixa os carros mais econômicos porque otimiza a queima do combustível. “Devemos observar uma menor ocorrência de batida de pino ou ignição precoce”, disse Medeiros.

“Antes, existiam gasolinas leves, voláteis. Quando adicionava o etanol, se tinha um produto com pouca energia, com poucas substâncias que proporcionam a energia necessária no motor”. Nesse caso, era necessário mais combustível para que o carro funcionasse bem.

4. Vou gastar mais para abastecer o carro?

Sim. No fim de junho, a diretora de refino e gás natural da Petrobras, Anelise Lara, disse que o litro da gasolina teria uma tendência a ficar mais caro com as novas especificações do derivado.

No entanto, a empresa não disse qual deve ser a diferença nos preços. Nesse caso, também é preciso considerar que a Petrobras já está fornecendo a nova gasolina para as distribuidoras.

No fim das contas, apesar de o motorista pagar mais pelo combustível, o veículo rodará mais quilômetros com um litro de gasolina.

Em nota, a Petrobras disse que “o ganho de rendimento de 5%, em média, proporcionado pela nova gasolina compensará uma eventual diferença no preço da gasolina”, e que “o preço do combustível é definido pela cotação no mercado internacional e outras variáveis”.

A petroleira também afirmou que “é responsável por apenas 30% do preço final da gasolina nos postos”.

5. Carros mais antigos também serão beneficiados?

Sim. Apesar de a nova gasolina ter sido pensada para motores modernos, que contam com injeção direta, por exemplo, os propulsores mais antigos também serão beneficiados com o combustível de melhor qualidade.

“Fizemos testes com veículos com injeção direta e injeção multiponto. No consumo, todos vão sentir, em maior ou menor proporção”, disse o engenheiro da Petrobras.

6. Vai ficar mais difícil adulterar a gasolina?

De acordo com os especialistas, sim.

“A nova especificação dificulta a adulteração. Normalmente, são colocados solventes leves, com baixa massa específica. Agora, como há um padrão mínimo, você evita que esses produtos leves sejam colocados”, disse Medeiros.

O especialista da ANP ainda afirma que, conforme os solventes ficam mais densos, o preço também sobe, tornando a adulteração menos rentável.

A própria ANP afirma que menos de 2% das amostras que coleta são de combustíveis adulterados. Nesses casos, a maior parte das irregularidades está na quantidade de etanol, com 57%.

Além disso, a fiscalização ficará mais fácil. “Com o parâmetro de massa específica, a ANP consegue aferir a densidade no próprio posto”, conclui Medeiros.

7. Até quando os postos poderão vender a “velha” gasolina?

Segundo a resolução da ANP, a gasolina com as antigas especificações ainda pode ser entregue nas distribuidoras até 3 de outubro, e nos postos até 3 de novembro.

Ainda assim, a Petrobras afirma já estar produzindo e entregando a nova gasolina.

8. Haverá mudanças na porcentagem de etanol?

Não. A proporção de etanol anidro (sem água) na gasolina seguirá sem alterações, em 27% na gasolina C (comum e aditivada).

9. Como fica a gasolina premium?

A gasolina comum ainda ficará abaixo do combustível premium, que passará de 91 octanos, no padrão RON, para 97. Esse tipo de combustível especial, além de ser mais caro, normalmente é recomendado pelas fabricantes de carros esportivos, que desenvolvem seus motores para essa octanagem mais alta.

Além do maior número de octanos, a gasolina premium também possui menor índice de etanol anidro de 25%.

A gasolina aditivada, como o nome já diz, um combustível comum, acrescido de aditivos, seguirá o mesmo padrão de mudanças da gasolina do tipo C.

O Bahia tem de ser mais ousado se quiser retornar aos seus bons tempos

Ter uma boa gestão financeira é além de ótimo, necessário no futebol e isso Guilherme Bellintani, presidente do Bahia, cumpre seu papel de maneira exemplar mas nem só de bons exemplos vive o futebol.

O Bahia vem se restruturando muito bem de 6 a 7 anos pra cá, o clube antes disso viveu tempos tenebrosos, que deixaram marcas profundas em suas finanças e aos poucos  com boas gestões conseguiu retomar as rédeas da tranquilidade financeira, ainda que não está no momento perfeito mas já vislumbra isso. Porém o torcedor, principal meio de sobrevivência do clube, não quer apenas bons exemplos, ele quer títulos, relevância nacional e sentir orgulho de seu time e isso não vai ser conquistado se o Bahia em algum momento não romper com suas rígidas regras e investir no elenco de maneira mais ousada.

Ficar eternamente no meio da tabela do campeonato brasileiro e ganhando apenas o campeonato Baiano ou  muito precariamente vivendo para abocanhar a Copa do Nordeste não dá orgulho em ninguém. O Bahia precisará investir pesado em seu plantel para, de maneira ousada, tentar feitos maiores e esses feitos pagarem seu investimento junto com seu torcedor. Sim pois investir além das contas hoje é ganhar retorno amanhã com uma possível classificação para a Libertadores ou quem sabe um título da Sulamericana, Copa do Brasil.

Bellintani precisará ser ousado ou corre o risco de deixar a presidência do clube como um ótimo exemplo de gestão financeira e um esquecível gestor de futebol. Já temos a certeza que essa virada de pensamento não virá esse ano, o gestor já declarou que não vai investir mais em jogadores para o Brasileiro.

NOTA DE R$ 200 COM LOBO-GUARÁ VAI SER LANÇADA PELO BANCO CENTRAL

Mega – O Banco Central anunciou hoje (29) que deve lançar a partir do final de agosto uma nova cédula de real com valor de R$ 200. Seguindo a tradição, um animal da fauna brasileira vai estampar a nova nota: trata-sedo lobo-guará. O design da cédula deve ser revelado em breve pela instituição.

Segundo a previsão do Banco Central, cerca de 450 milhões de cédulas de R$ 200 devem ser produzidas ainda em 2020. Segundo a conta oficial da instituição no Twitter, “com a nova denominação, além de reduzir custos com a logística de distribuição do dinheiro, o BC garante o adequado abastecimento de cédulas na economia nacional”.

O lobo-guará entra, portanto, para a lista de animais que ilustram as cédulas da moeda brasileira, que conta com tartaruga-de-pente, garça, arara-vermelha, mico-leão, onça-pintada e garoupa nas notas de R$ 2, R$ 5, R$ 10, R$ 20, R$ 50 e R$ 100, respectivamente. A nota de R$ 1, que continha um beija-flor, deixou de ser fabricada em 2005 e saiu de circulação.

 

Desembargador que chamou GCM de analfabeto pede desculpas: ‘Nada justifica os excessos dos quais me arrependo’

O desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo, Eduardo Siqueira, publicou nesta quinta-feira (23) uma nota em que pede desculpas por ter se exaltado com um Guarda Civil Metropolitano (GCM) no último dia 18 de julho em Santos, no litoral paulista. Siqueira chamou o GCM de analfabeto após ter sido abordado por estar sem máscara na praia.

“Nos últimos dias, vídeos de incidentes ocorridos entre mim e guardas municipais de Santos têm motivado intenso debate na mídia e nas redes sociais, com repercussão nacional. Realmente, no último sábado (18/07) me exaltei, desmedidamente, com o guarda municipal CÍCERO HILÁRIO, razão pela qual venho a público lhe pedir desculpas”, afirmou.

“Minha atitude teve como pano de fundo uma profunda indignação com a série de confusões normativas que têm surgido durante a pandemia – como a edição de decretos municipais que contrariam a legislação federal – e às inúmeras abordagens ilegais e agressivas que recebi antes, que sem dúvida exaltam os ânimos. Nada disso, porém, justifica os excessos ocorridos, dos quais me arrependo. O guarda municipal só estava cumprindo ordens e, na abordagem, atuou de maneira irrepreensível. Estendo as desculpas a sua família e a todas as pessoas que se sentiram ofendidas”, completou.

O Tribunal de Justiça de São Paulo já havia se manifestado em nota sobre o acontecimento e informou que determinou a imediata instauração de procedimento de apuração dos fatos, requisitou a gravação original e ouvirá, com a máxima brevidade, os guardas civis e o magistrado.

Bahia lança “Netflix Tricolor” e pretende alavancar receitas com novidade

O Esporte Clube Bahia, lançou na manhã de quarta-feira (15), o seu mais novo plano de sócios, chamado Socio Digital, que promete uma interação muito maior com o torcedor.

Nesse novo plano, além do torcedor ter acesso ao desconto de 5% em compras na Loja do Esquadrão e preferência na compra de ingresso ainda poderá visitar uma vez por ano o novo CT do esquadrão. O novo plano, tem valor de R$ 7,90, para quem já é Sócio Esquadrão, e R$ 9,90 para o não-sócio.

Euvaldo jorge afirmou estar feliz com esse novo modelo e torce para que seja sucesso.

“Penso que as novas tecnologias vieram para ficar, e o Bahia esta muito bem guarnecido nesse quesito, é um clube com pensamento no futuro. Cheguei a falar com o presidente sobre a ideia de uma “Netflix tricolor”, no passado, e fico feliz que se tornou realidade.” Afirmou Euvaldo.

 

SURTO DE COVID-19 EM NAVIO ISOLADO HÁ 35 DIAS INTRIGA AUTORIDADES

Mega – As autoridades de Saúde da Argentina estão lidando com o caso de um navio que teve um surto de covid-19 mesmo estando 35 dias no mar. O barco de pesca Etchizen Maru identificou 57 das 61 pessoas a bordo como infectadas pelo novo coronavírus.

O barco navegava pela província de Tierra del Fuego, na Patagônia. Apenas duas pessoas da tripulação testaram negativo, enquanto o restante aguarda os resultados.

Outra questão que intriga as autoridades é que todos os marinheiros haviam testado negativo e entrado em quarentena antes de navegarem.

“A tripulação do navio teve 14 dias de isolamento em um hotel em Ushuaia, período no qual acreditamos que eles não tiveram nenhum contato com pessoas da cidade, e então eles foram navegar por 35 dias” afirmou Leandro Ballatore, chefe de Infectologia do Hospital Regional de Ushuaia, em um comunicado.

Infecção misteriosa

Duas pessoas estão internadas no Hospital Regional de Ushuaia após uma inspeção das autoridades locais. O restante da tripulação permaneceu no barco e está recebendo ajuda da província.

Uma das teorias para explicar o contágio é a de que uma das pessoas tenha testado falso negativo em Buenos Aires, o que permitiu que o vírus se espalhasse durante o período em que a tripulação estava em quarentena antes de embarcar.

No entanto, Ballatore explica que, para que a teoria seja verdadeira, o vírus precisaria ter passado por um período de incubação muito longo, o que não há precedentes registrados em outros lugares.

Vacina testada no Brasil é uma das mais adiantadas do mundo, segundo a OMS

Yahoo – Apesar de estar em estágio avançado, a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford, do Reino Unido, e testada no Brasil, poderá ter o registro liberado apenas em junho do ano que vem. É o que afirmou Soraia Smaili, reitora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), em entrevista à GloboNews.

Ao todo, 50 mil pessoas participam dos testes em todo o mundo, 10% delas no Brasil: 2 mil em São Paulo, 2 mil na Bahia e outras 1 mil no Rio de Janeiro. O Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE) da Unifesp coordena a aplicação da vacina em São Paulo, que começou em junho com voluntários da área da saúde.

— Com a quantidade de pessoas que estão recebendo a vacina no mundo, é possível que tenhamos resultados promissores no início do ano que vem e o registro em junho — afirma Soraia.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) classificou a vacina de Oxford como a mais adiantada no mundo e, também, a mais avançada em termos de desenvolvimento. Um dos centros que testa essa vacina é coordenado por uma brasileira, a cientista Daniela Ferreira, doutora pelo Instituto Butantan.

Atenção estudantes; Prova do Encceja será feita em dezembro

EducaMais: A prova do Encceja 2020 deve ser realizada em dezembro, segundo o Instituto Nacional do Ensino e Pesquisas Educacionais Anísio de Teixeira (Inep). A data exata ainda não foi definida e o edital completo será divulgado em breve.
O Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) serve para certificar estudantes que não concluíram o ensino fundamental e médio na escola regular.

Campanha lança manifesto ‘Vidas Negras Importam’ e propõe 10 metas para reduzir impacto do racismo

Universidade Zumbi dos Palmares e a Afrobras, com apoio da Agência Grey, lançaram nesta terça-feira (30) em São Paulo um plano de ações práticas para o combate ao preconceito e à discriminação racial no Brasil, pedindo ações concretas das autoridades do país para a melhoria de vida da população negra brasileira.

O manifesto “Vidas negras importam: nós queremos respirar” também é um movimento nacional proposto por diversas personalidades do meio jurídico, político, empresarial, artístico, do esporte e da comunicação, que se mobilizam para debater a diversidade racial brasileira e ajudar a implementar políticas públicas e privadas contra o racismo no país.

Chamado de “Movimento AR”, o nome do grupo é uma alusão ao caso do norte-americano George Floyd, homem negro que foi morto por asfixia com o joelho por um policial branco em Minneápolis, nos Estados Unidos.

“George Floyd foi assassinado porque queria, precisava, mas foi impedido de respirar. A partir de hoje ele não estará mais sozinho. Com ele, cada um de nós, negros de todas as cores, em várias partes doBrasil e do mundo, encheremos os pulmões para gritar e exigir, as mudanças e transformação inexoráveis do seu e do nosso, tempo e geração”, afirma o manifesto do grupo.

A campanha também faz alusão à morte do adolescente João Pedro, de 14 anos, assassinado durante uma ação policial dentro de casa, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Várias personalidades que fazem parte do “Movimento Ar” gravaram vídeos para a campanha, que conta com participação de nomes como a atriz Zezé Motta, da cantora Sandra de Sá, a empresária Luiza Trajano e o comediante Fábio Porchat, entre muitos outros

Metas e ações

O texto lançado nesta terça aponta dez ações estratégicas para possibilitar que os negros tenham acesso à Educação e à renda no país, por meio de parcerias e políticas públicas. O plano quer atingir esses objetivos em cinco anos, alcançando 30% a cada novo período.

“O ódio racial envenena o ar a nossa volta e intoxica, sufoca e asfixia cada um de nós e toda a nação. O racismo subverte os princípios da dignidade humana e cria, justifica, naturaliza e reproduz o sentimento de superioridade e inferioridade entre os indivíduos em razão raça e da cor da pele. O preconceito e a discriminação racial mata inocentes, destrói sonhos e interdita possibilidades. Subverte e deslegitima os propósitos da república, desqualifica e fragiliza os fundamentos da democracia, corrói e corrompe a confiança, a solidariedade e a fraternidade social. Mantém negros e brancos separados e desiguais”, diz o manifesto.

O plano de metas do movimento elenca medidas para garantir o acesso ao mercado de trabalho e a prorrogação da Lei de Cotas nas universidades públicas federais, além de pedir a reformulação nos protocolos policiais, a criação de oportunidades de estudos para jovens negros e a criação de um fundo chamado de “Fundo Vidas Negras Importam”.

O objetivo do fundo é fomentar, apoiar e financiar projetos educacionais, de empreendedorismo, tecnológicos e de economia cultural criativa para jovens negros no Brasil.

“Precisamos educar para transformar. Elaboramos um manifesto com ações que, em alguns casos, basta apenas fazer com que as leis sejam cumpridas. Não estamos pedindo nada, queremos o direito de auxiliar a sociedade a se organizar de uma forma onde não exista distinção pela raça. Para isso a educação de nossas crianças e jovens negros é essencial, mas também a educação nos ambientes corporativos é preponderante que os profissionais sejam envolvidos e aprendam a fazer a gestão da diversidade”, afirma José Vicente, reitor da Universidade Zumbi dos Palmares e um dos idealizadores do “Movimento AR”.

As dez metas do manifesto publicado pelo “Movimento AR” são as seguintes:

  1. Mudança nos protocolos policiais para impedir técnicas de sufocamento e estrangulamento em abordagens policiais, bem como disparos de arma de fogo em invasões ou ocupação de favelas e comunidades.
  2. Mudança nos protocolos da segurança privada para acabar com a hostilização, perseguição e constrangimentos nos ambientes públicos e privados, incluindo a eliminação da sala de agressão e tortura presente nos bancos, shoppings e supermercados.
  3. Criação de 500 mil bolsas de estudos para qualificação de jovens negros em graduação, pós-graduação, pesquisa, formação tecnológica, economia criativa, negócios e empreendedorismo.
  4. Criação de 300 mil vagas de estágios, trainees e profissionais negros nas empresas públicas e privadas.
  5. Formação e qualificação de um milhão de quadros corporativos em discriminação e racismo e gestão da diversidade racial.
  6. Implementação de recursos por meio de ferramentas, mecanismos, metodologia de gestão, gerenciamento da inclusão, desenvolvimento de carreira, ações e políticas de diversidade racial em 300 empresas públicas e privadas.
  7. 300 milhões em compras corporativas do ambiente público e privado, de serviços e produtos de empresas e empresários e profissionais negros.
  8. Fundo Vidas Negras Importam de R$ 200 milhões para o fomento, apoio e financiamento educacional, empreendedor, tecnológico e de economia cultural criativa para jovens negros.
  9. Implementação integral da Lei da História do Negro e História da África e da disciplina de Relações Étnico Racial em todo ambiente escolar e universitário público e privado do país.
  10. Campanha de instalação da Rua Zumbi, do Selo da Igualdade Racial, ampliação e expansão da ‘Virada da Consciência”.

Carta

Também foi lançada uma carta de “mulheres brasileiras feministas antirracistas e antifascistas em defesa da democracia”.

Para as autoras da carta, como a professora doutora na Faculdade de Direito da PUC-SP, Silvia Pimentel, reconhecida por sua trajetória de atuação na defesa dos direitos humanos, sobretudo das mulheres, a expansão da pandemia da Covid-19 escancara a crise econômica e as violações de direitos humanos, em especial da população negra e dos povos indígenas, com reiteradas sinalizações de ruptura institucional entre os Poderes da República.

“Lutamos contra a perpetuação da desigualdade social que se amplia com os cortes nos orçamentos da saúde e da educação, do saneamento básico e de programas sociais”, diz trecho da carta.

 

Galedes